Viva o NEC!

Captura de ecrã 2017-01-27, às 13.46.36                                                                                                                            © Paulo Pimenta

 

Esta é uma página do jornal que fiz com a Marta Ramos – uma das propostas que constituíram o percurso (trans)sensorial no âmbito do (A.D.)n | Arquivo Dançante em Dezembro de 2016 – e no qual justapusemos notícias e imagens num jornal da actualidade, baralhando tempos, memórias e deixando rastros sobre o cruzamento de uma história pessoal com a história colectiva.

Foi mais uma forma de transformar material de arquivo acumulado num objecto presente, capaz de continuar a lançar pistas sobre questões que, ciclicamente, ocupam as artes performativas e os seus agentes e agradecer a todos e todas que coexistiram com o NEC ao longo de mais de 23 anos, reforçando a ideia de que o tempo é uma ilusão.

Esta despedida tem sido, também ela, um processo. A consciência do fim de um ciclo tem acontecido e sido transmitida através de vários momentos, formatos e suportes, de modo a permitir a ressonância, a diversidade e a abertura de perspectivas, mesmo e sobretudo, em momentos de transição, onde continuamente nos colocamos e reforçando a ideia de que o fim é uma ilusão.

Num tom mais institucional poderia invocar a quantidade de projectos, artistas, colaborações, públicos, espaços e demais categorias quantificadoras da actividade que nos propusemos desenvolver ao longo do tempo, mas não é isso que move uma estrutura independente dedicada à criação de carácter mais experimental e, para esse fim, podem aceder à informação aqui.

Aquilo que sinto mais urgente invocar como a principal consequência do nosso trabalho é, sem dúvida, uma teia invisível de relações, de encontros, de contaminações e cumplicidades que se estabeleceram e fizeram germinar um sem número de percursos e projectos pessoais, que se afirmaram de forma livre e sem paternalismos. Mas isso não vem nos jornais e exige compromisso, vontade em estar juntos, tempo para reflectir sobre as práticas e o que nos é comum. Dá trabalho e exige persistência e verdade.

Em breve, encerraremos formalmente a associação. Temos ainda bastante material que precisa de encontrar um lugar novo para podermos libertar o espaço no Teatro Municipal Campo Alegre onde fomos acolhidos generosamente durante os últimos 2 anos. Os contactos de email e tlm do NEC também serão desactivados.

A partir de agora, o Núcleo de Experimentação Coreográfica continuará a existir noutras dimensões, não só através do projecto Arquivo Dançante, cuja base já criada vos convido a ver e a divulgar, como também através de todos vocês, que directa ou indirectamente, contribuíram para a existência desta estrutura e a quem agradeço profundamente.

Não posso terminar sem um agradecimento muito especial à Ana, ao Jô, ao Paulo, ao Pedro, à Mafalda e ao Luís por estes tempos longos de cocriação, experiências e amizade que me ensinaram tanto. Obrigada!

Viva o NEC!

Com amor e até já,

Cristiana